Notícia

POLÍCIA MILITAR

Polícia Militar do Estado de Alagoas
Terça, 20 Abril 2021 16:41
CPI

Proposta de criação da Seção de Estatística do CPI é apresentada durante palestra

Comandantes das Grandes Áreas acompanharam explanação durante evento sobre análise de dados criminais

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp
  • Google +

A importância da análise de dados estatísticos criminais para a atuação precisa da Polícia Militar de Alagoas (PM-AL) foi tema de palestra realizada nessa segunda-feira (19), na sede do Comando de Policiamento do Interior (CPI). Durante a apresentação, foi discutida a proposta de implantação de uma seção, no CPI, responsável pelo gerenciamento de dados e análise a partir das estatísticas criminais do interior.

Ministrada pelo capitão Porciúncula, a palestra contou com as presenças do comandante do CPI, coronel Lucena; subcomandante do CPI, tenente-coronel Paulo Eugênio; comandante do CPAI-I, tenente-coronel Moura; comandante do CPAI-II, tenente-coronel Azevedo; subcomandante do CPAI-III, tenente-coronel Cláudio e do comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar, major Santos.

A proposta de criação da Seção de Estatística do CPI tem como fundamento a relevância da utilização da informação na organização da ação policial, a exemplo do tipo de delito, perfil socioeconômico do infrator, região onde o crime ocorreu, incidência de infrações no local, dentre outros dados relevantes. As estatísticas criminais servirão de fonte para o planejamento das atividades do CPI, reorganizando os padrões vigentes na Instituição e contribuindo para adoções de práticas de prevenção e de combate a crimes pelos profissionais da segurança pública.

Durante a apresentação, o capitão Porciúncula explicou a logística do trabalho da Seção de Estatística. “A partir do atendimento da ocorrência pela Polícia Militar, as informações do fato serão coletadas; depois passarão por um tratamento a fim de se obter dados estatísticos; em seguida será feito o estudo da ocorrência e dos dados criminais levantados para que, por fim, as medidas de solução para aquele tipo de ilicitude sejam implementadas”, explicou o oficial.

O projeto segue em desenvolvimento de novas etapas, para que em breve seja finalizado, tornando possível uma atuação policial voltada aos modelos de inteligência, pró-atividade e prevenção para o controle da criminalidade.