Notícia

POLÍCIA MILITAR

Polícia Militar do Estado de Alagoas
Domingo, 19 Abril 2020 11:52
19 DE ABRIL: DIA DO ÍNDIO

Guerreiras: alunas índias do Curso de Formação de Praças são exemplos de superação

Polícia Militar presta homenagem às novas agentes da Segurança Pública de Alagoas neste dia celebrativo pela cultura indígena

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
  • Whatsapp
  • Google +
Alunas do CFP Simone Mendes e Silvânia ao lado do comandante do CFAP, tenente-coronel Marlon Araújo Alunas do CFP Simone Mendes e Silvânia ao lado do comandante do CFAP, tenente-coronel Marlon Araújo

“Temos sido valentes guerreiros, invencíveis heróis brasileiros”, um trecho do hino da Polícia Militar de Alagoas que demonstra não só o importante papel de seus integrantes na história do Estado, mas também pode ser considerado o reflexo da grandeza da população indígena em todo o território nacional. Desde a época da chegada da Corte Portuguesa em nosso país, os índios têm resistido bastante à ação das outras raças e nos dias atuais a garra desses guerreiros em apenas existir revela para as demais pessoas brasileiras o tamanho da força que possuem.

Apesar da relevância que possuem na construção da nação, a população indígena tem sofrido bastante e isso pode ser visto no percentual que representam no universo dos brasileiros. De acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população indígena no Brasil é formada por mais de 800 mil índios, de 305 etnias diferentes, ocupando, principalmente, as regiões Norte e Nordeste, de um total de mais de 190 milhões de pessoas.

Aqui em Alagoas, a situação também não é diferente. De pouco mais de três milhões de alagoanos, de acordo com dados da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde (MS), de 2015, os indígenas são cerca de 10.800 pessoas, divididas entre onze etnias, como a Wassu que possui a maior representatividade territorial, com mais de 50 mil hectares na Zona da Mata Norte do estado, segundo um estudo publicado em 2017 pela Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) de Alagoas.

Ainda de acordo com os dados divulgados, a segundo etnia com maior área tradicional com cerca de 36 mil ha é a Xucuru-Kariri, que possui cerca de 1.400 índios (Fonte: Sesai/2015). A aldeia se concentra na Região Planalto da Borborema, no Agreste de Alagoas, mas precisamente no município de Palmeira dos Índios. Desta população indígena, que em sua maioria vive em vulnerabilidade social, surge duas guerreiras – as quais a Polícia Militar de Alagoas homenageia neste 19 de abril, considerado o Dia do Índio.

“Nós temos duas mulheres, batalhadoras, que conseguiram em meio as adversidades o que milhares de pessoas têm almejado nos últimos anos: ser aprovado em um concurso público. Para nossa alegria, essas duas índias Xucuru-Kariri ingressaram na Polícia Militar de Alagoas e trazem consigo um exemplo de superação não só pessoal, mas de toda uma população”, afirmou o comandante-geral da PM, coronel Marcos Sampaio.

As duas indígenas das quais o oficial superior se refere são as alunas do Curso de Formação de Praças (CFP) Simone Mendes e Silvânia. Elas conseguiram a aprovação no concurso público para o cargo de Soldado Combatente realizado no ano de 2018.

Simone Mendes, mãe de três filhos, com muita luta foi concluindo os estudos e atualmente está no CFP, coordenado pelo Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), no polo Arapiraca. Já Silvânia, que está no Pólo Maceió, teve uma vida marcada por diversas situações inesperadas. Ainda na infância ela venceu uma Pneumonia, foi mãe adolescente, teve que deixar a filha com os pais na aldeia para conseguir renda na área urbana. Um dos trabalhos encontrados foi na limpeza urbana, como gari. Na poesia, ela encontrou uma forma de aliviar todo o sofrimento vivido e agora vivência a realização de um sonho: ser soldada da Briosa Polícia Militar de Alagoas.

“São dois exemplos de mulheres indígenas lutadoras com histórias de vida permeadas de dificuldades. Elas têm histórias de luta que se repetem. Mesmo com a dificuldade ao acesso à educação, possuem uma força de vontade seivosa. A PM exalta nossos povos indígenas através desses dois exemplos de vida e de resistência. Que todos nós sejamos fortes, cheios de garra e guerreiros, seguindo o exemplo dos nossos indígenas e que, sobretudo, um dia a gente aprenda o respeito a nossa ancestralidade”, enalteceu o comandante do CFAP, tenente-coronel Marlon Araújo.

19 04 2020 indígena