Terça, 16 de Outubro de 2018
   
Texto

Militares do CGCDHPC participam de treinamento para o atendimento de ocorrências envolvendo suicidas

Instrução objetiva aperfeiçoar o atendimento de ocorrências que envolva suicidas
 
Na manhã dessa quinta-feira (0)8, militares do Centro de Gerenciamento de Crises Direitos Humanos e Polícia Comunitária, CGCDHPC, participaram de uma instrução na sede da Unidade, localizada no bairro da Pitanguinha em Maceió, com objetivo de aperfeiçoar o atendimento de ocorrências que envolva suicidas.
 
A instrução foi dividida em duas partes. Na primeira, um suposto suicida, trancado em um ambiente, ameaçava se matar com uma arma de fogo e exigia que os negociadores trouxessem para o cenário de crise a sua companheira. Na segunda, os militares, já em sala de aula, puderam aliar os conhecimentos práticos à teoria e doutrina que orienta a conduta dos encarregados desse tipo de situação.
 
Para o capitão Perdigão, responsável pela condução da capacitação, a instrução tem relevante importância porque “reforça os conhecimentos adquiridos em instruções anteriores, explorando temas como o perfil do suicida, seus métodos e motivações, técnicas de negociação, dentre outros”.
 
Já para o cabo Machado, que participou ativamente da instrução como integrante da Equipe de Negociação, “o treinamento deve ser constante, tendo em vista que uma das principais características da crise é a imprevisibilidade”.
 
Dados Alarmantes
 
A cada 40 segundos no mundo e a cada 45 minutos no Brasil ocorre um suicídio. Dados divulgados pela BBC indicam que entre 1980 e 2014, a taxa de suicídio entre jovens de 15 a 29 anos aumentou 27,2% no país.
 
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o país campeão mundial do transtorno de ansiedade e o quinto em número de pessoas com depressão.
 
O aumento de casos relacionados à tentativa de suicídio em Alagoas é considerado alarmante. Dados do Hospital Geral do Estado (HGE) mostram que, a cada ano, os números aumentam e os maiores casos estão relacionados às mulheres.
 
No ano de 2016 a julho de 2017, o HGE registrou 435 casos de tentativas de suicídio. Sendo 84 casos relacionados a homens em 2016 e 185 tentativas por mulheres no mesmo ano.
 
Até julho de 2017, foram 61 homens e 105 mulheres que tentaram tirar a vida em Alagoas, dos que foram atendidos, 33 pessoas (2016) e 15 (2017) tentaram tirar a vida novamente e foram encaminhados para o HGE.
 
Ainda de acordo com o HGE, sobre os municípios alagoanos, Maceió ocupa o 1º lugar registrando 171 casos em 2016 e 111 em 2017. Em 2º está a cidade de Pilar, seguido de Atalaia e Rio Largo.
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter

ATENÇÃO

ACESSO À INFORMAÇÃO

Banner

SEMINÁRIO

PESQUISE NO SITE

INFORMATIVOS

Banner
Banner
Banner

DISQUE DENÚNCIA

Banner

LINK CNCG

ALAGOAS EM DADOS E INFORMAÇÕES

Banner