Domingo, 20 de Agosto de 2017
   
Texto

BPGd inicia atividades do Projeto Pelotão Mirim na Base Comunitária Santa Maria

As atividades do projeto são desenvolvidas no ambiente militar da própria Base Comunitária
 
O Batalhão de Polícia de Guardas (BPGd) iniciou na última segunda-feira (07) as atividades referentes à implantação do Projeto Pelotão Mirim na Base Comunitária de Segurança do conjunto Santa Maria, bairro Cidade Universitária, parte alta de Maceió.
 
O objetivo da ação é assegurar a crianças e adolescentes proteção e cuidados necessários para o desenvolvimento de seu bem-estar social, físico e mental, reduzindo assim a exposição contínua ao risco do envolvimento com as drogas e a criminalidade, principalmente no período em que estão fora da escola.
 
O projeto conta com o apoio do efetivo que atua na BCS do Santa Maria e é coordenado pelo aspirante-a-oficial Cláudio Henrique, oficial de ligação do local, com apoio do sargento Williams Lopes, comandante da Base. De acordo com o coordenador, ao aproximar a polícia do público infantil, é possível resgatar princípios cívicos e de cidadania bem como auxiliar no desenvolvimento escolar e cognitivo dos participantes.
 
“Com esta iniciativa toda a Segurança Pública ganha, pois há uma aproximação dessas crianças e adolescentes, futuros adultos, com iniciativas que poderão desvirtuá-los de futuras transgressores da lei em potencial, passando a contar com ações que poderão influenciar suas vidas”, disse o aspirante.
 
O Comandante do BPGd, major Wagner Coutinho, destaca que o projeto foi lançado em fase embrionária e posteriormente será apresentado ao Comando Geral da PM para apreciação de toda sua estrutura e futura homologação.
 
A iniciativa busca apoio de algumas secretarias do Estado, faculdades, Poder Judiciário, Ministério Público, dentre outros órgãos para melhor assistir os envolvidos.
 
Confira abaixo uma entrevista realizada com o coordenador sobre a estrutura do Projeto e como funcionará a ação social
 
De onde surgiu a iniciativa para criação do projeto?
 
A inspiração para a aplicabilidade da ação na área de nossa Base Comunitária de Segurança partiu do ‘Projeto Pelotão Mirim’ do 3º BPM, que há sete anos atua no município de Arapiraca e já beneficiou mais de 500 crianças. Trazer essa ação positiva para a população das periferias de Maceió, que assim como em outras capitais, vivem atualmente um contexto social muito difícil, onde em geral, a violência, o tráfico e as más influências é que dominam, implica em uma possibilidade de tirar esses meninos e meninas da ociosidade passando a integrá-los no contexto comunitário.
 
O projeto pretende ampliar o vínculo com a família?
 
De que forma eles subsidiarão as ações? A família em seus moldes atuais, vive um momento de distanciamento, pois o uso exagerado da tecnologia e redes sociais, acaba por afastar o contato e convívio que existia no âmbito familiar. O projeto tem como ponto forte o acompanhamento dos pais, de seus filhos na escola, o que por vezes é deixado de lado, e gera uma necessidade de um bom rendimento do aluno em sala de aula. Vale ressaltar também que o ensino de preceitos fundamentais do militarismo, como hierarquia e disciplina (que irá compor nossa grade curricular) traz de volta o respeito e a sensação de responsabilidade cívica, e esses princípios alcançarão também a família.
 
Que dias e horários funcionará o projeto?
 
O projeto terá a duração de seis meses. A princípio as atividades são desenvolvidas no ambiente militar da própria Base Comunitária, no conjunto Santa Maria, nas segundas e quartas-feiras, no horário oposto ao escolar. Quais as atividades que os participantes desenvolverão dentro do projeto? Entre as atividades desenvolvidas estão noções de ordem unida, disciplina, segurança, higiene e saúde, relações interpessoais, prevenção e resistência às drogas, cidadania, recreação, lazer, ética, civismo, dentre outras. Como acontece em Arapiraca, a hierarquia, alicerce do militarismo, estará presente no cotidiano das atividades.
 
Quais os requisitos para ingresso na ação?
 
Hoje temos 10 crianças e adolescentes atendidos, inseridos no pelotão Sierra Mike, e pretendemos alcançar cerca de 50. E para ingressar o candidato deve ter faixa etária entre 10 e 16 anos, estar matriculado em uma escola e ter boa frequência, depois eles passam por uma prova de conhecimentos básicos do ensino fundamental e os melhores colocados preenchem as vagas.
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter

ATENÇÃO

PESQUISE NO SITE

ACESSO À INFORMAÇÃO

Banner

DISQUE DENÚNCIA

Banner
Banner

INFORMATIVOS

Banner
Banner
Banner

CONTATO

ALAGOAS EM DADOS E INFORMAÇÕES

Banner

LINK CNCG