Domingo, 16 de Junho de 2019
   
Texto

Governador se reúne com Movimento Unificado de Mulheres Alagoanas

Equipe do CGCDHPC e Maria da Penha, ambas pertencentes a PMAL, participaram da reunião com o governador (Foto: Márcio Ferreira)
 
No Dia Internacional da Mulher, o governador Renan Filho se reuniu, na tarde dessa sexta-feira (8), com o Movimento Unificado de Mulheres Alagoanas do campo e da cidade. O chefe do Executivo estadual recebeu a pauta e ouviu as reivindicações levantadas pelas representantes das instituições e movimentos que também integram o Conselho Estadual da Defesa dos Direitos da Mulher (Cedim). O encontro aconteceu no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares.
 
Dentre os pleitos apresentados e acolhidos pelo governador está a interiorização da Patrulha Maria da Penha. Lançado em abril de 2018, o Programa é uma iniciativa das Secretarias de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh) e da Segurança Pública (SSP).
 
A Patrulha garante atendimento e acompanhamento mais humanizado às mulheres vítimas de violência, possibilitando, também, que elas denunciem o agressor com mais segurança. Policiais militares atuam por meio de ações ostensivas especializadas no combate à violência contra elas e verificam, por meio de visitas, se as medidas protetivas determinadas pela Justiça estão sendo cumpridas.
 
Para a expansão da Patrulha Maria da Penha, Renan Filho sugeriu que seja feito um estudo para saber em quais regiões e municípios há maior incidência de crimes violentos contra a mulher no Estado. “Alagoas é hoje no Brasil referência no combate à violência. Esse trabalho tem dado certo porque concentramos grande parte de nosso efetivo onde existem as maiores manchas criminais. Então, antes de ampliarmos a Patrulha Maria da Penha para o interior, sugiro que se identifique onde ficam as áreas quentes (de maior incidência de crimes contra a mulher) no interior”, ponderou Renan Filho.
 
Um estudo também será desenvolvido com o objetivo de ampliar o espaço destinado à Patrulha Maria da Penha, que hoje funciona numa sala instalada na Semudh. Outra possibilidade debatida foi a construção de um complexo que abrigaria a Secretaria, a Delegacia da Mulher e o Programa.
 
O governador anunciou, também, que em todos os Centros Integrados de Segurança Pública (Cisp) do Tipo 2 funcionarão núcleos de combate à violência contra a mulher, no interior do Estado.
 
Foram discutidos, ainda, outros temas como a construção de Casas de Passagem e de Custódia no interior do estado, a conclusão do Hospital da Mulher – prevista para o fim deste primeiro semestre; políticas públicas para a juventude negra e a retomada da entrega da Comenda Nise da Silveira, dentre outros assuntos.
 
“Eu acredito que pontos importantes foram debatidos e fechados durante a reunião, como, por exemplo, a construção do espaço da Patrulha Maria da Penha e da própria Casa de Passagem, que é uma demanda antiga. Entretanto, ainda existem pontos que precisam ser fechados e debatidos. Mas, de forma geral, a reunião com o governador sempre é positiva e muito dialógica: conseguimos conversar e apresentar as pautas”, avaliou a presidente do Cedim, Ana Pereira.
 
Participaram, ainda, do encontro a secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos, Maria José; da Ressocialização e Inclusão Social, Marcos Sérgio Santos; da Comunicação, Ênio Lins; da Assistência Social, Edenilsa Lima; o secretário-chefe do Gabinete Civil, Felipe Cordeiro; a comandante da Patrulha Maria da Penha, major Danielle Assunção; a deputada estadual Jó Pereira, o Centro de Gerenciamento de Crises, Direitos Humanos e Polícia Comunitária da PMAL (CGCDHPC), representado pelos Capitães Geison França e Thiago Ferreira, dentre outras autoridades.
 
Com Agência Alagoas
Partilhar no FacebookPartilhar no Twitter

ATENÇÃO

Campanha PMAL

CONVENIO

PESQUISE NO SITE

ACESSO À INFORMAÇÃO

Banner

INFORMATIVOS

Banner
Banner
Banner

DISQUE DENÚNCIA

Banner

LINK CNCG

ALAGOAS EM DADOS E INFORMAÇÕES

Banner